Do Hospício para a História

Posted on agosto 22, 2010

0



Escolhas…

Hunter Adams, um americano  que ao entrar em depressão aos 40 anos de idade, internou-se numa clinica psiquiátrica. Ganhou de um dos internos o apelido de Patch que acabou adotando como nome principal. Considerando que seu problemas eram menores comparado ao problemas do demais internos. Patch Adams deixou a clinica psiquiátrica.

Dois anos depois resolveu estudar medicina, e já na faculdade chamou atenção por seu estilo brincalhão e irreverente. Com alegria e criatividade se aproximou de enfermeiros e pacientes procurando mostrar que compaixão, envolvimento, empatia e humor tinham tanta importância no tratamento de doentes, como remédio e tecnologias novas.

Alvo de criticas, idealista, foi um dos melhores alunos da turma. Contagiou colegas com a premissa de que médico deve melhorar a qualidade de vida do paciente e não apenas adiar a morte.

Depois de formado em 1971, montou nos Estados Unidos, sua tão sonhada clinica. O instituto Gesundheit, que significa saúde em alemão, e atende pacientes de graça. A clínica se tornou referência para milhares de profissionais interessados no trabalho de Patch Adams.

Não creio em pensamento positivo. Creio que o pensar é positivo, e a falta de pensar é negativo. Por vezes pensamos que nossas escolhas estão pautadas por lados divididos por um muro. Mas em sua maioria esse muro é apenas uma cerca como na foto.

Anúncios